Siguenos en la red:

FacebookFacebook TwitterTwitter Geosilex en LinkedIn

Selección de idioma: Español . Français . Português . English

anterior siguiente

8 Solicitações máximas

para um material de construção sustentável ideal

2. Fabricação com Zero vestígio de Carbono

Um vestígio de carbono é “a totalidade de gases de efeito estufa (GEE) emitidos por efeito direto ou indireto de um indivíduo, organização, evento ou produto". (UK CARBON TRUST 2008).

O incremento da povoação e da atividade industrial tem provocado que a concentração de CO2 na atmosfera tenha se incrementado um 34% no último século. O planeta apenas suporta um vestígio de carbono equivalente a uma produção anual de 1,7 Tm de CO2 por habitante. Atualmente a produção anual média a nível mundial é de 2,8 Tm de CO2 por habitante. A Espanha emite 6,4 Tm anuais de CO2 por pessoa, isto é, cada habitante é responsável por 3,7 Tm de CO2 em excesso. A Espanha teria que possuir, em função das emissões de CO2 e da povoação atuais, uma superfície 3,7 vezes maior da que tem. Aliás, devemos ter em conta que não todas as províncias da Espanha têm a mesma responsabilidade, dado que existem 9 províncias (Cuenca, Zamora, etc) com bio-eficiência meio ambiental em superávit devido à elevada superfície produtiva (Hag), escassa povoação e baixa atividade industrial.

  • As emissões de CO2 na Espanha se situam um 52% acima do objetivo de Kyoto (OSE).
  • As emissões de CO2 representam o 83,2 % do total de emissões de gases de efeito estufa (ano de ref. 2008). MARM INVENTÁRIO DE GASES DE EFEITO ESTUFA. ED.2010.
  • O setor da construção gera o 36% das emissões de CO2 na União Européia. DECLARAÇÕES DO VICE-CONSELHEIRO DE MEIO AMBIENTE DE CYL.
  • A produção de cimento é responsável por 14% DAS EMISSÕES (estimativa de 2006, sem contar as emissões por consumos energéticos). CC.OO-DEPARTAMENTO DE MEIO AMBIENTE, SANTAMARTA/ NIETO.

A alteração climática obriga a “descarbonizar” de forma progressiva o sistema econômico, e a reduzir as emissões de gases de efeito estufa entre um 60- 80% para o ano 2050, segundo relatórios do IPCC.

O aquecimento global é um fenômeno que afeta o conjunto do sistema terrestre, dado que a concentração de gases de efeito estufa na atmosfera se distribui de forma bastante homogênea independentemente do lugar onde se produzem as emissões, contrariamente a outros fenômenos de poluição do ar.

Por este motivo, é necessário enfrentá-lo agindo de forma concertada. Não obstante, o princípio que inspira a Convenção-Quadro das Nações Unidas é a responsabilidade compartilhada, porém diferenciada. Os países industrializados têm uma maior responsabilidade pela emissão de gases de efeito estufa tanto pela quantidade como pelo tempo que levam produzindo estas emissões.

Por tanto, os esforços de redução devem ser proporcionais a esta responsabilidade e, logicamente, ao grau de desenvolvimento. (PLANO QUADRO DE MITIGAÇÃO DA ALTERAÇÃO CLIMÁTICA NA CATALUNHA 2008 – 2012. SETEMBRO 2008).

 

 

GeoSilex® uma cal obtida sem emissões de CO2 e custo energético mínimo

As cales industriais, óxido de cálcio e hidróxido de cálcio, são obtidas por calcinação de pedra caliça (CaCO3) a temperaturas de 800 a 1000°C, reação que acarreta a liberação no ambiente do CO2 que contêm (46% do peso da pedra caliça) e a formação de CaO (cal viva), além de um considerável custo energético e elevadíssimas emissões de CO2 eq. correspondentes à produção da eletricidade consumida ou aos combustíveis utilizados na fabricação da cal. A CaO (cal viva) em contato com água (apagamento da cal) se transforma em hidróxido de cálcio, Ca(OH)2 ou “cal hidratada”.

 

O hidróxido de cálcio que constitui mais de 80% em peso do GeoSilex® é obtido por uma rota não convencional seguida durante a hidratação de carbeto de Ca, para a obtenção de acetileno, o produto principal, conforme a seguinte reação: CaC2 + 2H2O → C2H2 + Ca(OH)2
Nesta reação se desprende acetileno (C2H2) e se gera CaO. O óxido de cálcio se hidrata rapidamente formando uma pasta (suspensão) de hidróxido cálcico. Normalmente esta pasta de cal não é utilizada em construção ou em outros usos industriais da cal tradicional, usualmente é armazenada como resíduo em tanques. A reciclagem dessa pasta de cal como ligante de distintos elementos de uso em obra pública e construção, conforme o procedimento patenteado pela Trenzametal S.L., é por tanto uma alternativa de enorme valor agregado e de grande potencial para o uso do citado resíduo na captação de gases de efeito estufa como o CO2. “VANTAGENS DA ADIÇÃO DE GEOSILEX EM CONCRETOS” CARLOS RODRÍGUEZ NAVARRO. CATEDRÁTICO DPTO. MINERALOGIA E PETROLOGIA. UNIVERSIDAD DE GRANADA.

 

Materiales para arquitectura activa frente al CO2

Mapa do site · Política de Privacidade · · Contato